17 • fev • 2017

♥ Processo Criativo ♥

Oie pessoal! E não é que chegou a hora de compartilhar com vocês algo que muita gente vêm me perguntando ao longo dos anos: meu processo criativo. Como artista eu desenvolvi, o meu próprio fluxo criativo. Na verdade eu não sabia que seguia esses passos até sentar para desenvolver este post. Interessante, né? Nem como artista nós temos o hábito de pensar muito sobre o como funciona o processo. No começo você não sabe ao certo o que está fazendo, mas logo encontra um ritmo e um ‘jeitinho’ de fazer as coisas e tudo começa a fluir. Na verdade, todo o processo (seja ele físico ou intelectual) segue um passo a passo, como um algoritmo. Lembrando que tudo que eu vou escrever aqui é a partir da minha perspectiva, que é subjetiva. Eu acredito que seja importante seguir algum tipo de fluxo, para que você organize o seu processo criativo e mais importante que isso, conclua ele. Eu acredito que muitos que estão lendo saibam o que quero dizer quando me refiro à importância de concluir um processo criativo. É muito fácil se perder no ato de criar e passear pelo fluxo em um eterno loop. Esse fluxo pode variar de pessoa pra pessoa e de área criativa pra área criativa, mas eu acredito que pode ser um guia para aqueles que querem começar suas carreiras criativas ou pra quem já está atuando e quer uma ajudinha. Então vamos lá!

Vou dividir este post em três partes: MEU PROCESSO CRIATIVO, EXEMPLOS e PERGUNTAS/RESPOSTAS.

MEU PROCESSO CRIATIVO:

Antes de começar, pra quem ainda não me conhece, eu sou a Andrea Loyola da lily&puka. Sou ilustradora e designer gráfica desde 2010. Digo isso pra vocês verem como o fluxo criativo reflete a minha área de atuação.

Como muitos artistas eu me comunico melhor com imagens do que palavras, por isso eu ilustrei (de forma fofa e divertida) como funciona o meu Fluxo Criativo e logo em seguida vou explicar o processo, tá?

1. Idéia

Todo início de processo é marcado por uma idéia. Não precisa ser uma idéia completa, pode ser o ‘i’ da palavra ‘idéia’, mas tem que ser o suficiente pra te motivar a querer desenvolvê-la.

2. Share/Compartilhe

Nada como compartilhar uma deliciosa pizza (vegana no meu caso) com amigos e família. A pizza nesse caso simboliza de forma muito deliciosa a sua idéia. Eu gosto de compartilhar a minha idéia de duas formas: pública (com os seguidores da lily&puka) e/ou particular (com determinadas pessoas da minha família ou amigos próximos). Gosto de receber o feedback das pessoas que curtem a marca pra ver se a idéia que eu tive pode estar ligada à algo que elas estejam querendo ou procurando. Quando compartilho com pessoas próximas de mim quero que o fato delas me conhecerem entre em consideração na hora delas entenderem a minha idéia. Depois de compartilhar e se eu ainda sentir vontade de me dedicar à essa idéia eu acesso a minha super caixa de referências para desenvolvê-la.

3. Referências

Nessa etapa você vai acessar um monte de informação dentro da sua caixa. Você vai acessar o seu banco de dados visuais/biblioteca de imagens. Esses podem ser compostos por tudo que você vê na natureza, alguma imagem que te marcou, uma roupa, uma textura, uma ilustração de um artista que você admira, uma tipografia incrível, enfim estamos constantemente captando novas imagens no nosso dia-a-dia. Nesse banco de dados eu também incluo todo o material que já criei ao longo da minha carreira criativa, já que eu vou usar como referência tudo que desenhei e criei ao longo dos anos. No começa da minha vida como artista eu não tinha esse material na minha caixa. Eu criei esse material ao longo dos anos e hoje ele compõe as minhas referências. O que eu percebi é que a minha caixa, nos último 4 anos, tem ficado mais cheia de referências de projetos que já desenvolvi e dos elementos que me rodeiam na natureza do que dos outros tipos de referências que citei acima. Isso se deve ao fato de eu já ter definido o meu estilo artístico. Quando você chega nessa etapa você evita usar como referência o trabalho de outros artistas, para evitar influências diretas e óbvias.

As memórias afetivas são muito importantes e fazem parte da essência de cada pessoa. É tudo aquilo que marcou um momento da sua vida, um marco de amor. No meu caso, eu tenho muitas lembranças lindas da minha infância enquanto morava nos Estados Unidos. Muitos docinhos (hahahaha), muitos passeios de bicicleta, muito basquete e baseball e minha coleção infinita de bonecos (sempre fui apaixonada por toy art)! Conheci a Disney quando tinha apenas 6 anos de idade! Isso foi um marco importante pra mim. Tenho lembranças de quando era pequena e ficava em casa durante a semana (não gostava muito da escola) eu adorava assistir filmes antigos em preto e branco e amava assistir às aulas de pintura à óleo com o Bob Ross (eu acho que não tem muita gente que conhece ele, né?). Enfim, memórias afetivas são as lembranças que você guardou com muito carinho ao longo dos anos. A primeira pintura grande que eu fiz foi uma pintura de 2013 que representa muito a minha essência, pela cor rosa (que eu AMO), pelos doces, pelo cabelo colorido e pela presença de unicórnios inspirados nos personagens do My Little Pony dos anos 80 e 90. Essa é a parte que deixa a sua criação com a sua cara!

Por fim, você tem as suas influências e inspirações, ou seja, artistas e designers que você admira. Aqueles cujo trabalho te tocaram de alguma forma. Eu tenho uma lista grande, porém seletiva de artistas que influenciaram o meu trabalho e que continuam me inspirando até hoje. Ás vezes é a técnica de pintura, outras vezes as cores que usam, pode ser até o traço do artista, a temática ou o conjunto da obra. Na minha lista incluo pessoas fortes e determinadas que admiro de outras áreas também. Não precisa ser somente artista. É importante se rodear de pessoas que te inspiram e possam te influenciar, contanto que não seja óbvio e literal, como já tinha mencionado antes.

Nesse ponto você já conseguiu desenvolver a sua idéia e nesse momento, normalmente, você começa a questionar algumas coisas. Daí surgem as dúvidas.

4. Dúvidas

O artista deve se dividir em dois: o criativo livre de qualquer restrição e o crítico que vai avaliar o trabalho sem vínculo emocional. Essa dualidade é normal e extremamente complicada. Depois de desenvolver uma idéia é importante olhar pra ela de forma prática e crítica. A dificuldade de fazer isso é que a idéia foi desenvolvida com todo o carinho e com todo o teor emocional que foi exigido e agora você vai precisar desmanchar ela pra ver quais partes vão funcionar e quais não vão. É uma etapa difícil, porém importantíssima. Não fique desanimado se você chegar nesse ponto e o seu lado crítico determinar que você deve começar de novo. Caso as dúvidas sejam pequenas e seja possível reformatar a idéia sem começar de novo, persista e continue em frente. O importante é nunca desistir!

5. Projeto

Agora vem a parte de descrever o projeto a partir da sua idéia. Aqui você vai incluir TODOS os elementos, não só a parte criativa (os desenhos, esboços), mas tudo que vai torná-lo real (orçamentos, fornecedores, prazos, material gráfico, distribuição). Nessa etapa eu costumo imaginar que o projeto vai ser algo super organizado e sucinto (esse é o tal do projeto idealizado), mas na verdade é uma confusão, uma sobreposição de elementos (essa é a versão real do projeto). Às vezes fica difícil de ver o seu projeto sair do papel, mas tem que persistir. Se depois de desenvolver a idéia, escrever o projeto, você ver que ele ainda é viável, esse é o momento de clareza.

6. Clareza

Nesse exato momento se você se esforçar você consegue até escutar o canto dos anjos…hahaha…aquele canto famoso que vemos em filmes americanos quando alguém tem uma epifania (um súbito entendimento ou compreensão de algo), pois é! É uma sensação incrível. Pra mim é quase que uma sensação de ver um unicórnio, é mágico!

7. Referências

Depois do projeto elaborado e de ver tudo com clareza, você agora tem um conhecimento ampliado e pode ver a sua idéia inicial de uma forma diferente. Por isso é importante voltar para as suas referências e alterar o que for preciso e ajustar todos os detalhes.

8. THE END/FIM

Aqui se concluí o processo criativo dessa idéia. Agora é só colocar ela em prática e começar tudo de novo com uma nova idéia.

Nem todo processo criativo tem essa fluidez. Às vezes eu me deparo com excesso de criatividade ou até mesmo bloqueio criativo, os dois extremos da balança. O excesso de criatividade não me permite sair da terceira etapa desse fluxo. Eu fico em um loop eterno entre [idéia -> share ->referências ->idéia -> share ->referências] e não saio daqui. Quando me acontece isso, eu sei que eu tenho que começar de novo, com uma idéia nova. Persistência é a solução nesse caso. Quando eu sofro com algum bloqueio criativo, eu sei que eu tenho que mudar de atividade. Então se estou pintando eu paro e vou trabalhar em algum design de broche, patch ou pin e vice versa. O que funciona pra mim também é fazer crochê, criar um amigurumi. E quando nada disso funciona, desenhar é a solução. Desenhe tudo e qualquer coisa! Eu sempre estou com um caderninho e uma caneta na minha bolsa. Se forçar a seguir em frente apesar do bloqueio criativo, é importante.

EXEMPLOS:

Aqui eu vou mostrar exemplos de algumas idéias que precisaram sofrer alguma alteração na hora de efetivamente colocar o projeto em prática. Em 2016 eu tive a idéia de lançar uma linha de pins em metal com ilustrações exclusivas da lily&puka. Inclusive compartilhei a idéia aqui no Blog da lily&puka com vocês. Eu coloquei o projeto em prática, mas alguns dos designs tiveram que ser modificados, pois a versão final da arte não era compatível com o equipamento/tecnologia do meu fornecedor. Na época foi algo muito complicado de se ouvir e depois de muito conversar com o meu fornecedor chegamos em um meio termo. No final das contas as alterações foram mínimas, mas a experiência me capacitou para ser um boa designer de pins. Hoje eu sei como o desenho precisa ser para o pin ficar bom. Eu fiquei conheçendo o processo de produção e devo admitir que é bem incrível e bem artesanal!

E pra quem curtiu os pins, eles estão na minha lojinha virtual junto com um monte de outras fofuras! ♥

 

PERGUNTAS/RESPOSTAS:

Aqui eu vou listar algumas das principais e mais frequentes perguntas que me fizeram:

P: Como você lida com bloqueio criativo?

R: Eu acabei respondendo essa pergunta no texto do próprio post! Rs Eu espero que tenha ajudado!

P: Quais são, atualmente, suas principais fontes de inspiração preferidas?

R: A minha principal fonte de inspiração é a Natureza. Para desenhar uma caricatura de um animal você precisa saber as proporções do animal de verdade, o mesmo vale para o ser humano. Tenho uma coleção de enciclopédias do reina animal, livros de botânica e livros de anatomia humana que uso como referência sempre. Comprei todos no Sebo do Messias em São Paulo e adoro! Além da natureza eu adoro seguir o trabalho de artistas que admiro como Mark Ryden, Marion Peck, Shardula (a.k.a. Mall), Kristian Adam, Caia Koopman, Tara McPherson, Brandi Milne, Mab Graves, Audrey Kawasaki, DabsMyla, Laura ColorsCamilla d’Errico, Bel’s Art World, Joey Stupor, entre alguns outros. Adoro e sigo o trabalho de alguns animadores da Disney e do Studio Ghibli. E como fonte de imagens eu gosto do Instagram, lá eu encontro fotos interessantes e a partir delas descubro blogs muito lindos. E livros, adoro livros, principalmente livros ilustrados. Pode ser livro de contos de fada para o público adulto ou pode ser livros infantis mesmo. Existem livros infantis que são lindamente ilustrados.

P: O que faz quando o projeto não sai como o planejado?

R: Eu não costumo me desesperar quando o projeto não sai como o planejado. Às vezes não sai como o planejado e fica melhor e às vezes não fica legal então eu começo de novo. Não pode ter medo de começar de novo. De vez em quando jogar uma idéia no lixo é a melhor solução.

P: Qual é a atividade ou ‘coisa’ que mais estimula a sua criatividade?

R: O ato de criar estimula a minha criatividade. Quando mencionei no texto lá encima a importância de sempre ter um caderninho em mãos se aplica para essa pergunta. O ato de desenhar, pintar, escrever qualquer coisa (não precisa ter uma finalidade) acaba estimulando a produção da energia criativa que alimenta as turbinas da engenhoca que é a minha cabeça. Experimentar novos materiais artísticos também estimula, e muito, a minha criatividade.

Se vocês tiverem mais perguntas, pode deixar aqui nos comentários que vou respondendo, tá?

Eu espero que todos tenham gostado desse post e que possa ajudar vocês de alguma forma. Ele foi desenvolvido com muito carinho!

Eu agora tenho uma pergunta pra vocês: O que estimula a criatividade de vocês?

11 • out • 2016

♥ Receitinhas de amigurumis inspirados no ‘Halloween’ da lily&puka ♥

Yay!! Eu resolvi compartilhar duas receitinhas de amigurumis esse mês inspirados no ‘Halloween’ ou ‘Dia das Bruxas’ aqui no Brasil. Eu adoro esse evento que pra mim se extende ao longo do mês todo de Outubro. Pena que aqui no Brasil é difícil de encontrar enfeites fofos para decorar a casa, por isso resolvi criar esse dois. São bem simples, mais são super lindinhos. A receita é da lily&puka, mas eu concedo os direito do seu uso para fins comerciais em pequena escala com a condição de vocês colocarem que o design é de autoria da lily&puka. Obrigada gente! 🙂

Eu já escrevi alguns posts sobre amigurumis aqui no Blog da lily&puka, então se sentirem falta de algum conteúdo dê uma lida nos posts listados abaixo, pois não quero ficar repetindo muito conteúdo:
 ♥ INTRODUÇÃO AO MUNDO DO AMIGURUMI ♥
♥ AMIGURUMIS DOS PERSONAGENS DA TURMA DA MÔNICA NO ESTILO TSUM TSUM DA DISNEY  ♥

Para começo de história eu escrevo as minhas receitas considerando que o lado certo do amigurumi está sempre voltado pra você. O lado certo é aquele que o ponto parece formar um ‘v’.

Veja a seguinte tabela onde listo todas as siglas que usei nas duas receitas.

Vou também dar algumas dicas que possam facilitar um pouco a vida de vocês.

Dicas:

Aqui eu vou listar algumas dicas, que podem ajudar vocês a fazer os seus amigurumis com um acabamento mais bonito.

1. Utilize sempre uma agulha menor que a recomendada na embalagem do fio. Assim os pontos ficarão mais juntinhos e você não terá que tensionar tanto o fio.

2. Quando você fizer uma esfera eu sempre indico fechar o seu amigurumi da seguinte forma: Faça as diminuições até você chegar na quantidade de pontos com a qual você começou no seu anel mágico. Em seguida arremate a peça e com o fio na agulha de tapeçaria pegue os laços frontais dos pb restantes, puxe o fio, feche a peça e pronto agora é só finalizar.

3. Quando começar a fazer as diminuições e se forem seguidos altere entre começar com a redução em uma carreira e começar com um pb na próxima, assim a redução não fica muito marcada e em evidência na peça.

1. Fantasminha:

Materiais:
– fio na cor branca;
– agulha de crochê 3.25 mm;
– marcador de ponto;
– agulha de costura para tapeçaria nº18;
– agulha de costura de plástico ou pinça de ponta fina para auxiliar na introdução do enchimento;
– 4 olhinhos de 0,5cm cada, 2 na cor azul claro e 2 na cor rosa (serão usados como blush);
– linha de bordar na cor rosa;
– tesoura;
– enchimento.

Seguindo essa receita e com os materiais listados acima o amigurumi ficou com 7,5cm de altura. Quero destacar que os materiais acima são apenas sugestões. É claro que se você usar um tamanho diferente de agulha o trabalho vai ficar diferente. Mas você pode usar a cor de fio que quiser e o acabamento que desejar, viu!

obs: Para te auxiliar na hora de colocar o recheio na parte de baixo do fantasminha eu usei uma agulha de plástico de costura mais grossa ou você pode usar uma pinça com ponto fina.

2. Abóbora:

SONY DSC

 

Materiais:
– fios na cor marrom para fazer a haste e o acabamento embaixo e na cor laranja para fazer a abóbora;
– agulha de crochê 3.25 mm;
– marcador de ponto;
– agulha de costura para tapeçaria nº18;
– agulha de costura de plástico ou pinça de ponta fina para auxiliar na introdução do enchimento;
– 4 olhinhos de 0,5cm cada, 2 na marrom e 2 na cor rosa (serão usados como blush);
– linha de bordar na marrom;
– tesoura;
– enchimento.

Seguindo essa receita e com os materiais listados acima o amigurumi ficou com 5,5cm de diâmetro e 4,5cm de altura. Quero destacar que os materiais acima são apenas sugestões. É claro que se você usar um tamanho diferente de agulha o trabalho vai ficar diferente. Mas você pode usar a cor de fio que quiser e o acabamento que desejar, viu!

obs: Para a abóbora ficar com os gominhos mais marcados, basta colocar menos enchimento. Eu optei por fazer assim, mas você pode escolher o que te agrada mais.

Eu espero muito que vocês tenham gostado dessas receitas. Não deixem de marcar a lily&puka e usar a #lilypuka nas redes sociais para eu poder ver as criações de vocês! Não deixe de compartilhar com seus amigos! =ˆ•.•ˆ=

Ainda esse mês eu vou criar uma receita super fofa em homenagem ao Halloween. Ela vai ser vendida na minha lojinha virtual, então fiquem ligados nas minhas redes sociais, pois vou compartilhar tudo por lá.

12 • ago • 2016

♥ Amigurumis dos personagens da Turma da Mônica no estilo Tsum Tsum da Disney ♥

Oie pessoal, tudo bem com vocês? Chegou o dia de liberar as receitas dos amigurumis que criei. Yay! Se você está chegando agora e está um pouquinho perdido, dê uma olhada nesse post aqui: ♥ Introdução ao mundo do amigurumi ♥. Nele eu expliquei mais sobre o amigurumi e dei referências de Blogs e vídeos que podem ajudar quem nunca fez um amigurumi ou quem quer saber algumas dicas também.

Agora deixa eu falar pra vocês um pouco sobre a idéia que deu origem à esse projeto super fofo! Para quem me conhece um pouco sabe que eu vivi a minha infância toda morando uma parte na Colômbia e a outra nos EUA. Cresci assistindo desenhos da Disney e quando vinha visitar minha família aqui no Brasil eu lia os gibis da Turma da Mônica, em especial as histórias do Bidu. Desde o ano passada estou querendo fazer uma homenagem à esses dois grandes mundos que tanto me inspiraram e ainda me inspiram! E foi recentemente que me veio a idéia de fazer uma homenagem aos dois de uma vez. Juntei os principais personagens da Turma da Mônica como a Mônica, Magali, Cebolinha, Cascão e Bidu com o estilo único e super fofo dos Tsum Tsum da Disney. Queria criar algo diferente que não existia ainda no mercado, mas onde o estilo e a linguagem dessas duas grandes escolas criativas ficassem em evidência.

SONY DSC

Eu vou somente liberar as receitas dos amigurumis dos Tsum Tsum +Turma da Mônica e não dos personagens que os acompanham nas fotos. Vocês vão ver nas fotos o Sansão e a melancia da Magali, mas esses eu não vou liberar, pelo menos não por enquanto. Queria deixar claro que apesar dos personagens não serem da minha criação, essas receitas são de minha autoria e eu não libero o uso para fins comerciais, apenas para uso pessoal. Peço também que vocês não divulguem a receita dando um copia e cola e sim compartilhem o meu Blog, assim vocês me ajudam. Eu fiz essas receitas com todo amor e carinho e espero muito que vocês gostem. Não deixem de mostrar as suas criações colocando #lilypuka nas redes sociais.

SONY DSC

Como eu disse no post anterior eu escrevo as minhas receitas em inglês, tenho mais facilidade dessa forma. Eu vou tentar ajudar vocês a compreender apesar de não ser escrito em português. Tem a tabelinha que encontrei no Blog do SuperZiper, que está fantástica, mas eu vou criar uma mais focada nos pontos que vou usar aqui. Eu resolvi liberar todas as receitas de uma vez, espero que não seja muita informação de uma vez.

Agora eu vou compartilhar as Siglas e os Materiais que valem para todos os amigurumis dessa série:

Siglas:
Eu criei essa tabelinha para ajudar vocês.
post Blog l&p_tsum tsum+turma da mônica

Link 1 
Link 2 
Link 3 
Link 4
Link 5

obs 1: Na hora de fazer as diminuições não se esqueça de aplicar a técnica da diminuição invisível, o resultado fica muito mais bonito. Para isso basta inserir a sua agulha de crochê no laço frontal do sc (ponto baixo) em seguida insira a agulha no laço frontal do próximo sc (ponto baixo), se precisar utilize o gancho da sua agulha para ajudar. Nesse momento você deverá estar com os dois laços frontais dos dois pontos. Em seguida, dê uma laçada no fio e puxe pelos laços frontais. Nesse momento você deverá ter duas alças em sua agulha de crochê. Agora é só finalizar como você finalizaria um sc (ponto baixo), basta dar mais uma laçada no fio e puxe pelas alças. Se a minha explicação por escrito não ficou clara, dê uma olhada no vídeo da Nerdigurumi.

obs 2: O amigurumi tem um lado certo, ou seja, o lado do trabalho que vai ficar aparente. Para saber qual é o lado certo do seu amigurumi basta entender que o lado certo irá está voltado pra você enquanto você trabalha os pontos. Outra forma de você identificar o lado certo do seu amigurumi é ver se os pontos tem um formato ‘v’, se sim esse é o lado certo.

Materiais:
Eu não vou identificar a marca dos ítens que utilizei para criar esses personagens. Acho importante vocês escolherem o material com o qual vocês preferem trabalhar ou que estão mais acostumados a usar. Eu só vou dizer que usei um fio fino e o tamanho da agulha de crochê que utilizei foi de 3.25mm, assim vocês tem uma idéia do material que usei para chegar no comprimento de 9,0 cm.
Fios nas cores vermelho, cor de pele ou bege e branco; agulha de crochê; agulha de costura em aço tipo tapestry nº14; um caderninho e lápis ou caneta para anotar; linha para bordar na cor preta; olhinhos pretos e cor de rosa (para as bochechas) -> vocês podem bordar esses detalhes se preferirem ou não tiverem esse material; marca ponto (stitch marker); cola especial para tecido ou cola quente.

Vamos às receitas:

1. Mônica

Receita:
Comece com o anel mágico com 6sc -> Caso você não saiba como fazer o anel mágica, clica AQUI (é um vídeo incrível da Bia do Blog Two Bee). Vai vai perceber que eu trabalho em carreiras (rows).

A aplicação dos detalhes vai muito do seu gosto, é claro. Se você quiser fazer diferente de como eu fiz, fique à vontade, viu! Mas para aqueles que quiserem fazer igual basta seguir esse passo a passo:
1. Para fazer o nariz utilize o fio na mesma cor bege ou cor de pele que você usou no seu amigurumi e encontre o ponto central, ou seja, o centro do seu anel mágico. Faça 7 voltas em torno do anel mágico, onde tem os seus 6 pontos.
2. Coloque os olhinhos na 6ª carreira a contar do centro do amigurumi e a 13 sc de distância entre eles. Coloque as bochechas na 8ª carreira a contar do centro do amigurumi e 16 pontos de distância entre elas.
3. Para fazer a boquinha basta pegar uma linha de bordar na cor rosa da sua preferência na 4ª carreira a contar a partir do centro do anel mágico e com comprimento de 3 pontos. Para fazer os dentes, utilize uma linha de bordar branca.
4. Para fazer o cabelo basta pegar uma linha de bordar preta e fazer 3 faixas paralelas em cada lado da cabeça da Mônica. Tente fazer o mais simétrico possível e eu fiz cada faixa de cabelo dando 6 voltas com a linha preta.

SONY DSC

2. Magali

Receita:
Comece com o anel mágico com 6sc

SONY DSC

Agora para os detalhes. Volto a dizer que essa parte vai do seu gosto e seja o quão criativo que desejar. Para aqueles que quiserem saber como fiz os detalhes, veja o passo a passo:
1. Para fazer o nariz utilize o fio na mesma cor bege ou cor de pele que você usou no seu amigurumi e encontre o ponto central, ou seja, o centro do seu anel mágico. Faça 7 voltas em torno do anel mágico, onde tem os seus 6 pontos.
2. Coloque os olhinhos na 6ª carreira a contar do centro do amigurumi e a 13 sc de distância entre eles. Coloque as bochechas na 8ª carreira a contar do centro do amigurumi e 16 pontos de distância entre elas.
3. Para fazer a boquinha basta pegar uma linha de bordar na cor rosa da sua preferência na 4ª carreira a contar a partir do centro do anel mágico e com comprimento de 1 ponto. Faça ela um pouco off center para que ela pareça estar mastigando ou te dando um sorriso lateral.
4. Para fazer o cabelo eu utilizei linha preta e uma agulha de crochê 2.00mm e para fixar ela na cabeçinha da Magali você pode colar ou costurar. Você é quem sabe 🙂
sk, ch26
R1 – R5 (sc) (25 sts) -> Sempre que chegar no fim da carreira, ch1 (faça uma corrente) e vire.
Para dar o acabamento na sua peça faça um sc em cada ponto em torno de todo o seu trabalho e no último lado do seu retângulo faça o seguinte:
(7sc,sc,htc,tc,htc,sc,slst,sc,htc,tc,htc,sc,7sc) -> Veja a imagem abaixo para entender melhor.
post Blog l&p_tsum tsum+turma da mônica

3. Cebolinha

Receita:
Comece com o anel mágico com 6sc

Agora para os detalhes:
1. Para fazer o nariz utilize o fio na mesma cor bege ou cor de pele que você usou no seu amigurumi e encontre o ponto central, ou seja, o centro do seu anel mágico. Faça 7 voltas em torno do anel mágico, onde tem os seus 6 pontos.
2. Coloque os olhinhos na 6ª carreira a contar do centro do amigurumi e a 13 sc de distância entre eles. Coloque as bochechas na 8ª carreira a contar do centro do amigurumi e 16 pontos de distância entre elas.
3. Para fazer a boquinha basta pegar uma linha de bordar na cor preta na 4ª carreira a contar a partir do centro do anel mágico e com comprimento de 1 ponto. Faça ela um pouco off center para que ela pareça estar mastigando ou te dando um sorriso lateral.
4. Para fazer o cabelo do Cebolinha basta encontrar o ponto central da cabeçinha e fazer o formato de uma estrela com 5 faixas com linha de bordar na cor preta. Para cada faixa eu dei 6 voltas com a linha.

SONY DSC

4. Cascão

Receita:
Comece com o anel mágico com 6sc


Agora para os detalhes do Cascão:

1. Para fazer o nariz utilize o fio na mesma cor bege ou cor de pele que você usou no seu amigurumi e encontre o ponto central, ou seja, o centro do seu anel mágico. Faça 7 voltas em torno do anel mágico, onde tem os seus 6 pontos.
2. Coloque os olhinhos na 6ª carreira a contar do centro do amigurumi e a 13 sc de distância entre eles. Coloque as bochechas na 8ª carreira a contar do centro do amigurumi e 16 pontos de distância entre elas.
3. Para fazer a boquinha basta pegar uma linha de bordar na cor preta da sua preferência na 4ª carreira a contar a partir do centro do anel mágico e com comprimento de 3 pontos.
4. Para fazer o cabelo siga a receita abaixo:
Comece com o anel mágico com 6sc
R1 (scinc)            (12 sts)
R2 (scinc, 2sc)   (16 sts)
 8 x ({sc+dc}, {dc+sc}) -> Os pontos dentro dos {} deverão ser realizados no mesmo sc
Para finalizar faça um 
slst no próximo sc e é só colar ou costurar na cabeça do Cascão.
5. Para fazer a faixa siga essa receita:
sk, ch21, sc em torno da corrente até obter 40 sts, slot
Depois de pronta é só colar ou costurar na lateral esquerda do Cascão.
6. Para fazer a sujeirinha que ele tem nas bochechas basta fazer 3 linhas paralelas uma sobre a outra com linha de bordar preta nos dois lados.

5. Bidu

Receita:
Comece com o anel mágico com 6sc

Agora para os detalhes do Bidu:
1. Coloque os olhinhos na 6ª carreira a contar do centro do amigurumi e a 11 sc de distância entre eles. Coloque as bochechas na 8ª carreira a contar do centro do amigurumi e 16 pontos de distância entre elas.
2. Para fazer a boquinha basta pegar uma linha de bordar na cor preta na 4ª carreira a contar a partir do centro do anel mágico e com comprimento de 1 ponto. Faça ela um pouco off center para que ela pareça estar mastigando ou te dando um sorriso lateral.
3. Costure o nariz depois de pronto no centro do rosto do Bidu, utilizando os 6 pontos do anel mágico como base.
4. Costure as orelhas na 2ª carreira a contar a partir de onde você colocou os olhinhos. Se assegure que a distância entre as orelhas seja de 4 sc.
5. Agora para as 4 patinhas adicione as primeiras duas na 10ª carreira a contar a partir de onde você colocou os olhinhos e a uma distância de 3 sc entre elas. Costure as outras duas patinhas a uma distância de 7 carreiras das primeiras duas patinhas que você já costurou e mantenha a mesma distância de 3 sc entre as duas.
6. Para fazer o detalhe das bolinhas pretas que o Bidu tem em torno do pescoço eu usei mini pompons na cor preta e colei, usando cola para tecido. Usei 13 mini pompons e colei cada um com uma distância entre eles de mais ou menos 1 cm.

Apesar da simplicidade das receitas, desenvolver esses amigurumis irá ajudar vocês a se familiarizarem com alguns conceitos que são muito importantes para quem for criar amigurumis como: troca de cor sem degrau, redução invisível e trabalhar em carreiras.

Essas foram as 5 receitas que desenvolvi para esses personagens dessa série. Espero muito que vocês gostem. O que vocês querem que a lily&puka crie pra vocês para a próxima série?

Só queria mencionar novamente que eu desenvolvi essas receitas para que vocês se divirtam criando esses personagens. Essas receitas são destinadas para uso pessoal. Os direitos autorais dessas receitas são da lily&puka e eu não autorizo a comercialização nem dos amigurumis e nem das receitas. Para divulgar essas receitas, divulgue o link do Blog da lily&puka. Assim vocês me ajudam a continuar criando conteúdo super lindo pra vocês.

10 • ago • 2016

♥ Introdução ao mundo do amigurumi ♥

Oie pessoal! Eu estou para liberar algumas receitas gratuitas em crochê aqui no Blog da lily&puka, mas antes de fazer isso gostaria de orientar aqueles que nunca fizeram um amigurumi ou que a técnica é um tanto nova. Esse Blog não tem o objetivo de ser muito didático. Eu não vou ensinar vocês como fazer crochê ou como fazer amigurumis, apenas vou compartilhar algumas receitas conforme as forem criando, mais como um D.I.Y (faça você mesmo) do que uma aula em como fazer amigurumis. Eu acho que já existem Blogs e outras plataformas com esse objetivo, então vou acabar incluindo eles aqui como referência.

Para aqueles que ainda não me conhecem, o meu nome Andrea e eu sou a fundadora e artista da marca lily&puka. Uma marca voltada para ilustrações e designs em crochê. Quem me acompanha nas redes sociais (aliás vai lá me seguir!=ˆ•.•ˆ=) sabe que eu sou a doida dos direitos autorias, então sempre que eu criar uma receita com base em um personagem que não for meu eu não vou vender a receita e nem o amigurumi, apenas vou disponibilizar a receita gratuitamente no meu Blog. Não autorizo o uso das receitas com o objetivo de vender o produto final, essas receitas deverão ser reproduzidas apenas para uso pessoal. E para aqueles que criarem seu amigurumi com base em uma receita da lily&puka não deixe de usar #lilypuka nas redes sociais para que eu possa ver suas criações.

Eu acho que é importante começar do zero, só para criarmos uma base sólida. Vocês sabem o significado da palavra amigurumi? O amigurumi é uma palavra em japonês que significa uma série de pontos em crochê ou em tricô que são feitos de forma circular até criar uma forma que será preenchida com enchimento. O amigurumi foi popular no Japão durante décadas, mas foi em 2006 que essa técnica se popularizou e passou a ser vendida e produzida de forma global. Eu mesma comecei a fazer amigurumi no ano de 2010. Conheci a técnica enquanto pesquisava por toy art na internet e acabei encontrando diversas pessoas nos EUA e na Europa que criavam suas próprias receitas e faziam seus amigurumis. Fiquei absolutamente encantada e nem preciso dizer o que aconteceu depois…hahaha

Quanto ao material, eu sempre indico fios de algodão ou mesclados (algodão+acrílico) ou até mesmo acrílico. Eu acho muito legal, se você puder é claro, dar uma passada em um armarinho próximo de você para ver de perto e sentir os diferentes materiais. Não indico o uso de fios de lã, já que sou vegana e sou contra o uso de materiais de origem animal. Também tem diversos tamanhos de agulhas de crochê, o tamanho que você for usar depende da espessura do fio que você estiver usando no seu projeto. Na própria embalagem do fio está indicada a agulha ideal. Nos meus próprios projetos eu costumo usar uma agulha um pouco mais fina que a indicada, já que um amigurumi bem feito tem os pontos bem fechados. Quanto ao recheio indico sempre fibra siliconada antialérgica e lavável. A minha amiga Bia do Blog Two Bee tem um vídeo muito bacana mostrando os diferentes materiais  que você pode usar. Clica aqui e assista!

Para quem já sabe os pontos básicos e quem já fez amigurumi não vai ter problema em acompanhar as receitas que eu vou disponibilizar. Para aqueles que não sabem eu vou indicar novamente o canal do youtube da Bia. Ela criou um conteúdo muito legal para quem está começando. Lá ela ensina a forma como você vai precisar começar a maioria dos seus amigurumis, o anel mágico. Dê uma olhada no vídeo onde ela explica e demonstra com clareza como fazer o anel mágico. Para ser sincera eu começo os meus amigurumis de uma forma um pouco diferente, mas a forma como ela explica é a tradicional e o resultado final é o mesmo. Nesse vídeo ela mostra também como fazer o aumento em cada ponto e a diminuição invisível que deixa o trabalho final mais bonito.

Eu acho que a prática e ler receitas escritas por outras pessoas vão ajudar vocês a entender a lógica por trás do amigurumi e assim vocês vão acabar se sentindo mais a vontade com a técnica e consequentemente vão criar as suas próprias receitas. Eu acho que esse é o objetivo com qualquer técnica, criar um trabalho autoral, né!

Eu vou compartilhar agora algumas coisas que vocês vão precisar saber para conseguir fazer os amigurumis que vou disponibilizar muito em breve. Vocês vão precisar saber como fazer a troca de fios de uma cor para outra. Eu utilizo a técnica demostrada no Blog da NeedleNoodles.com onde ela ensina como fazer a troca de cor sem deixar um degrau muito aparente. O site está em inglês, mas com a ajuda das fotos acho que vocês vão conseguir entender a lógica. Vocês também vão precisar fazer alguns pontos mais tradicionais do crochê além do slst (slip stitch) e do sc (single crochet), como o hdc (half double crochet), o dc (double crochet), o htr (half treble crochet) e o tr (treble crochet). Eu vou usar os termos em inglês, pois eu escrevo as minhas receitas em inglês mesmo. Tenho mais facilidade dessa forma. Para vocês saberem a tradução, dê uma olhada na tabela incrível disponível no Blog do SuperZiper. Para saber como fazer esses pontos basta dar uma pesquisada na internet e escolher o vídeo ou o passo a passo com fotos que te ajudar a fazer esses pontos com mais facilidade. Eu comprei um livro muito legal quando ingressei nesse mundo do crochê (faz um tempinho, então eu não sei se ele ainda está disponível no mercado), que me ensinou a fazer alguns desses pontos. Veja uma imagem que peguei dele onde indica o passo a passo de como fazer um htr. Os pontos como o tr, o dc e o hdc podem ser derivados dele.

post Blog l&p_tsum tsum+turma da mônica

Eu espero que esse post tenha ajudado vocês um pouco. Espere só mais um pouquinho para eu liberar o primeiro post com os personagens que desenvolvi. Eu tenho certeza que vocês vão amar. Enquanto isso pratiquem bastante e se vocês tiverem algum dúvida é só me falar.

Vou deixar aqui uma imagem com alguns amigurumis da lily&puka, onde eu desenvolvi o design e escrevi a receita. A reprodução desses amigurumis é proibida e caso alguém se inspire em algum deles ou mais de um, não deixe de me dar os créditos, viu! Obrigada gente querida! ♥

13245298_10153994122975432_8428821429612100270_n

Fica aqui uma prévia do que está por vir. Resolvi fazer uma homenagem aos principais personagens da Turma da Mônica do Maurício de Souza e à Disney (em específico aos tsum tsum). Tenham um dia lindo, fofo e colorido e até o próximo post! =ˆ•.•ˆ=

post Blog l&p_tsum tsum+turma da mônica

 

13 • jul • 2016

♥ Meu primeiro projeto no Kickante! ♥

Oie pessoal, tudo bem? Ai que alegria ver que os pins que tanto fizeram sucesso nos anos 90 estão de volta e mais lindos do que nunca! Vocês já viram cada design fofo? Yay! Eu quase não consigo controlar tanta emoção. Quem me conhece sabe que sou apaixonada por pins, não tenho muitos, pois sempre fui muito seletiva, mas tenho alguns bem vintage que guardo com muito amor. Eu lembro que quando eu tinha 10 ou 11 anos eu sempre usava um no casaco que vestia para ir para minha escola, apesar de ser contra as regras. Lembro do dia em que o diretor da minha escola estava na entrada fazendo a inspeção da manhã e ele viu o meu pin e confiscou. Eu não parava de chorar….hahaha…sim eu sou apegada às minhas coisinhas. Foi uma loucura, minha mãe teve que ir até a escola e buscar o pin comigo. Para aqueles que estão se perguntando que tipo de escola era essa, eu estudava em uma escola bem rígida quando morei na Colômbia. Se eu achar fotos eu posto aqui ou no Instagram, tá? Nossa como eu desviei do tópico…haha

Print

Eu quis criar esse post para divulgar o meu primeiro projeto de crowdfunding (financiamento coletivo) no kickante. E adivinha qual é o objetivo do projeto? Fazer uma coleção de pins com 6 ilustrações diferentes da lily&puka. Yay! ♥ Para cada valor que você contribuir você ganha como recompensa os pins da lily&puka. E quem já comprou algum produto da lily&puka sabe que eu sempre incluo algo extra e mando muito amor e carinho no pacotinho feito com todo o capricho do mundo. Se você já contribuiu ou não puder no momento, eu super agradeço se você puder compartilhar por aí, viu! Esse é um projeto ‘Tudo ou Nada’, ou seja, eu somente recebo o capital para fazer os pins se o projeto arrecadar o valor total, caso eu não atinja o meu objetivo, o valor de cada contribuição será devolvido pelo Kickante para cada dono.

Quero também destacar que o período em que o projeto ficará ativo é de 60 dias. Se eu conseguir arrecadar a minha meta eu vou receber o valor do kickante e em seguida irei mandar fazer os pins. O período de produção é de 21 dias. Eu sei que parece ser bastante tempo, mas prometo que vai valer a pena. Não deixa de clicar aqui para contribuir. O banho dos pins será prateado e o fecho atrás é o tradicional borboleta que impede que a parte pontuda fique exposta e você se machuque. Para aqueles que contribuírem, vocês estarão “comprando” os pins por um preço mais em conta do que quando eles estiverem na lojinha da lily&puka.

Para saber o tamanho de cada um e o preço de venda, é só entrar no meu Kickante. Cada pin será vendido separadamente com exceção do conjunto de algodão doce de coelhinho e gatinho que será vendido como duplinha. Vejam as fotos dos pins em suas respectivas embalagens! Que fofura, né? 🙂

Print PrintPrint PrintPrint

Eu sou extremamente agradecida aos que contribuírem ou àqueles que compartilharem ou somente entraram nesse blog para ler esse post que fiz com todo o coração. ♥

Deixe sugestões do que vocês mais querem ver aqui no Blog da lily&puka aqui nos comentários. Me diga também se vocês gostaram desse post e se vocês são tão apaixonadas por pins quanto eu sou!

28 • abr • 2016

Lançamento do Blog da lily&puka =ˆ•.•ˆ=

Oie pessoal! Finalmente chegou esse dia mais que lindo, em que lanço o primeiro Blog da lily&puka. Yay!!

Em primeiro lugar quero me apresentar. Para aqueles que ainda não me conhecem, o meu nome é Andrea Loyola e eu crio fofuras, como essas nas fotos que vou te mostrando aqui. Eu sou vegana e extremamente apaixonada por animais e pela natureza! Acredito que devemos tratar todos e tudo que nos rodeio com muito amor, carinho e respeito!

Tenho 33 anos e sou uma eterna sonhadora. Sim eu acredito em fadas e unicórnios. Ué, porque não? São os sonhos que nos mantém vivos. Eu criei a lily&puka com um objetivo muito simples: trazer muito amor e cor ao mundo. Desde muito jovem queria fazer algo que tornasse o mundo um lugar melhor para todos e hoje depois de algumas tentativas e alguns erros acredito que finalmente encontrei a minha forma de contribuir para um mundo melhor. São as pequenas ações dos indivíduos dentro do coletivo que fazem toda a diferença, não é?

                                            ilustração patymimmos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ilustra_lily&puka_sanrio

panda e gatinho dorminhocos_alta resolução

Eu comecei a ilustrar em 2010, mas foi em 2012 que eu cheguei a conclusão que ainda não estava conseguindo expressar toda a minha criatividade. Eu queria criar os meus personagens em 3D. Queria poder pegar neles e abraçar forte! haha Pesquisei várias técnicas, como: costura, modelagem e por fim o crochê. Testei costura e não gostei, eu nem tentei modelagem, pois eu queria algo onde o resultado fosse mais macio e fofo. Então fui direto no crochê. Nunca tinha nem pegado em uma agulha não sabia de nada. Tinha visto amigurumis apenas pela internet nos Estados Unidos, Europa e Ásia. Não encontrei nada aqui no Brasil, nem mesmo cursos. Então fui apreender a fazer uma luvinha de crochê e ao longo do meu curso fui praticando, em casa, a arte do amigurumi. Devo admitir que foi muito difícil conseguir pegar o jeito, mas depois de entender o mecanismo e a lógica do amigurumi foi mais fácil. Depois de quase 6 meses copiando e treinando todos os dias, sem compartilhar nada em nenhuma rede social, me arrisque em escrever a minha primeira receita! Fiz tantos amigurumis para praticar o meu ponto que quase não sentia mais os meus dedos. Eu comecei a me arriscar no mundo que tanto sonhava em criar, um universo autoral com os meus próprios personagens. Criei vários personagens diferentes ao longo dos anos, enquanto isso a minha técnica foi melhorando e fui me sentindo mais à vontade em tentar projetos mais complexos.

Lily & Puka Ilustration and Toys Tatiana Ferro Fotografia

Tatiana Ferro Fotografia

Lily & Puka Ilustration and Toys Tatiana Ferro Fotografia

Tatiana Ferro Fotografia

Lily & Puka Ilustration and Toys Tatiana Ferro Fotografia

Tatiana Ferro Fotografia

Eu considero que a minha vontade em criar fofuras já virou uma compulsão/obsessão…haha Estou sempre pensando em novos projetos, minhas mãos não acompanham a velocidade em que tenho novas idéias, o que me deixa um pouco frustrada e ansiosa. Aqui no Blog da lily&puka vocês vão acompanhar um pouco disso…haha

Espero que este espaço seja uma forma de ter um relacionamento ainda mais próximo com aqueles que acompanham e gostam do meu trabalho. Quero publicar processos criativos tanto das minhas ilustrações quanto dos meus amigurumis. Também quero compartilhar alguns projetos D.I.Y. (faça você mesmo) que eu mesma vou criar, além de dar dicas e ajudar como puder e souber. E vocês, o que querem ver aqui no Blog da lily&puka?

Que este seja um espaço de muito amor entre todos e sempre que tiverem alguma dúvida ou se quiserem bater um papo comigo é só me chamar, viu! Caso queiram ver os produtos que estão disponíveis na minha lojinha, clique AQUI. =ˆ•.•ˆ=

lily&puka • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Ilustrações por Andrea Loyola • Desenvolvido por